Editorial


A Violenta Queda na Oferta de Vagas para Dentistas no Serviço Público

O OdontoConcursos é o maior divulgador de empregos públicos da Odontologia brasileira. Estamos no ar desde  1999 e já divulgamos milhares de vagas ajudando dezenas de milhares de dentistas a entrarem no mercado de trabalho.
Acompanhamos o crescimento das vagas com a entrada da Odontologia no PSF, a criação dos Centros de Especialidades Odontologicas, o Programa UPA 24 horas; todos significando aumento de vagas para a profissão no serviço público. Divulgávamos uma média de 8.000 vagas por ano em concursos de norte a sul do país. Contudo, desde de 2007, o número de vagas para dentistas em concursos públicos vem caindo. No ano de 2015, divulgamos cerca de 1.800 vagas, o que significa uma queda de 77,5% na oferta de vagas quando comparadas àquelas ofertadas há menos de uma década atrás.
Se levarmos em conta apenas os 5.570 municípios do país a quem cabe prestar a atenção básica de saúde e o número de profissionais em atuação, chegaremos facilmente à conclusão que o serviço de Odontologia não existe, ou é irrelevante frente às necessidades da população. Mesmo em cidades grandes como o Rio de Janeiro, a cobertura é baixa e a capacidade de atendimento é inferior a 10% da população.
Não bastasse o baixíssimo número de vagas, os salários, que antes acompanhavam os salários oferecidos aos médicos, são já há algum tempo pelo menos 50% inferiores. Isso gera o desinteresse do profissional pela atuação no serviço público e serve para compor o quadro atual de falta de dentistas para atender à população, como já divulgado em matérias de telejornais.

Enquanto assistimos diariamente ao escárnio da corrupção, que levou à maior crise econômica da história do país, momento em que governos responsáveis deveriam aumentar os investimentos em saúde pública para socorrer a população cada vez mais desassistida, o que vemos é exatamente o contrário. E o pior, a justiça que tem se mostrado tão hábil em investigar políticos corruptos e seus associados, pouco ou nada faz para garantir o direito mais fundamental do cidadão brasileiro, o direito à saúde, o direito à vida.
 

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Esclarecimentos aos Usuários Relativos ao Acesso às Informações de Concursos

Continuamos a disponibilizar um grande quantidade de informações sobre concursos a todos os nossos usuários, somente neste ano de 2016 já divulgamos informações de concursos com 710 vagas até o presente momento e somos o maior portal de informações sobre emprego público da Odontologia Brasileira.

 O que ocorre é que a Internet é um veículo que quanto mais usado, mais caro se torna. O OdontoConcursos vem prestando informações exclusivamente gratuitas há 16 anos. Neste período o número de nossos usuários cresceu e hoje o site se aproxima dos 70.000 usuários cadastrados.

 Desta forma com vistas à manutenção da qualidade dos nossos serviços são necessários investimentos crescentes e contínuos em nossos sistemas para poder receber esta gama de usuários e tornar viável a prestação deste serviço.

 Assim uma parcela das informações referentes aos concursos nas fases de inscrição e próximos está disponível apenas para usuários assinantes. Os valores de assinatura são módicos:

 Anual - R$44,80 ou R$3,73 por mês

Semestral - R$36,50 ou R$6,08 por mês

 Esperamos continuar a tê-lo como nosso usuário, mesmo porquê uma grande quantidade de informações sobre concursos em inscrição e próximos continua gratuita.

( 18/04/2016)

 

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Uso Indevido de Nossa Marca em Redes Sociais e Anúncios

O Odontoconcursos vem sendo vítima da utilização indevida de sua marca em redes sociais e mesmo em anúncios de cursos.
Sites concorrentes tem utilizado de forma inescrupulosa e desonesta nossa marca para nomear redes sociais de que ainda não participamos.
O objetivo é atrair usuários utilizando a nossa marca para facilitar o contato e promover seus cursos e livros.
Recentemente solicitamos ao Google a retirada de um anúncio de um curso preparatório em Odontologia que utilizava nossa marca como título do anúncio, e fomos atendidos.
Este texto foi escrito em 29/02/2016 e atualmente só estamos participando do Facebook. Todas as outras páginas criadas nas demais redes sociais são fraudes e não possuímos qualquer relação com os produtos ou serviços oferecidos, bem como não nos responsabiizamos por qualquer dano que possa ser contraído por nossos usuários através destas páginas.
O OdontoConcursos possui sua marca registrada e poderá a qualquer momento processar empresas e pessoas que utilizem nossa marca sem nossa autorização. Estamos trabalhando para remover estas páginas e solicitamos aos nossos usuários que as denunciem através da página comentários disponível na home de nosso site.

Denuncie

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Atrasos de Verbas Federais Já Paralisam Serviços em Cerca de 25% dos Municípios

Uma série de programas implantados pelo governo federal e mantidos por repasses finaceiros aos municípios estão sendo paralizados devido a atrasos ou ausência no repasse destes recursos. Se isto já não fosse problema suficiente, o governo federal também deixou de repassar R$2,4 bilhões do Fundo de Participação dos Municípios, recurso do qual dependem 70% dos 5.668 municípios brasileiros.

A falta de recursos afeta principalmente verbas aplicadas em saúde, educação e assistência social. Cerca de 1.300 municípios dos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Goiás, Minas Gerais e Sergipe já promoveram paralizações e greves de 24 horas para chamar a atenção da gravidade do problema. 

Além disso, centenas de outros municípios pelo país afora, estão reduzindo horários de funcionamento de diversos serviços prestados à população e cortando investimentos em áreas como saúde e educação.

A irrespossabilidade fiscal do governo federal, que promoveu gastos desenfreados e sem controle pode levar a uma crise sem precedentes que afetará substancialmente a população mais pobre que depende de serviços essenciais prestados pelo poder municipal local. 

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Corrupção na Saúde É Maior Que a da Petrobrás

No período de 2007 a 2010, o Ministério da Saúde repassou a estados e municípios R$ 159,13 bilhões, destes apenas 2,5% foram fiscalizados, ou seja cerca de R$ 4 bilhões. Destes R$ 4 bilhões, foram encontrados desvios de R$ 662,2 milhões, ou seja 17% desta pequena parcela fiscalizada.

Como o SUS é descentralizado e o executivo federal faz transferências diretas a estados e municípios, sem realmente fiscalizar a aplicação efetiva das verbas, apesar de inúmeras solicitações da Controladoria Geral da União e do Ministério Público, a saúde é como vemos um escoadouro fácil dos recursos públicos.

Se aplicarmos ao total de repasses do período acima, o percentual de desvios de 17% veremos que ele corresponderia a 27 bilhões de reais, portanto o dobro do Petrolão estimado em até 14 bilhões de reais.

Todos os dias este roubo é mostrado pelas reportagens nas emergências, hospitais e postos de saúde de todo o país, com a falta de profissionais, o mal atendimento, as mortes, os baixos salários dos profissionais de saúde, o acúmulo de pacientes nos corredores dos hospitais ....

Enquanto a sociedade brasileira está escandalizada com a corrupção na Petrobrás, há algo muito pior acontecendo dia a dia, há décadas, de forma flagrante, com consequências muito piores e ninguém faz nada.

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Realidade atual dos concursos para dentistas no Brasil

O número de vagas para dentistas no serviço público aumentou muito nos últimas duas décadas. A ampliação das vagas, está ligada a criação e expansão de serviços de odontologia nos municípios e também nas redes estaduais. Diversos programas como o Brasil Sorridente, o Programa de Saúde da Família, os Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), as UPAs 24 horas incentivaram a criação de serviços que recebem subvenção, especialmente, do governo federal.
O que tem se notado nos últimos anos é a crença dos governos e de seus gestores que os serviços de saúde são prestados à população através de programas, o que não é verdade. 
A saúde é feita por pessoas, os profissionais de saúde. Pouco adiantará investir em prédios novos, equipamentos e materiais, se os salários pagos não estão à altura da relevância social deste serviço.
Ao invés de investir em recursos humanos com bons salários, plano de carreira, atualização profissional e aposentadoria digna, investe-se em obras e equipamentos. No quesito recursos humanos, tem sido comum a contratação de OSS, Organizações Sociais de Saúde, que não criam vínculo com a população, volatizam a presença do profissional e a execução dos serviços, deixando a cargo de terceiros o direito à saúde, que é um dever constitucional do estado brasileiro.

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Como Manter Atualizada as Informações dos Concursos

Muitas pessoas deixam de se inscrever em um determinado concurso, apesar de terem forte interesse em participar dele, por acharem o salário pouco atrativo, ou a carga horária de trabalho incompatível com suas atividades. O que acontece muitas e muitas vezes, são os editais de retificação, cada concurso tem em média pelo menos de 3 a 4 editais de retificação. Nestes editais, muitas vezes são retificados os salários, a carga horária, a matéria da prova, as atribuições do cargo, a data da prova, o período de inscrições etc...
Além destas retificações, que já multiplicariam por 4 a quantidade de vezes que teríamos que buscar as informações de cada concurso, existem também os concursos suspensos que são outra dor de cabeça para quem quer estar informado e participar de determinado concurso. Nestes concursos, um novo edital é divulgado, mas o edital anterior continua, via de regra, encabeçando a página de inscrição, ficando o edital novo como mais um edital de retificação, o que torna muito difícil para os usuários e até mesmo para nós, do OdontoConcursos, discernirmos o que está realmente valendo. Ultimamente, muitos concursos tem sido suspensos judicialmente por apresentarem inadequação do regime de trabalho proposto, com a legislação trabalhista vigente, principalmente concursos para o PSF.
Após está breve explanação, gostaríamos de aconselhar nosso usuários, a sempre que tiverem interesse por determinado concurso, a acessar frequentemente o site da empresa organizadora do concurso, ou o site onde as informações do concurso estão sendo disponibilizadas. O motivo é que por mais que queiramos oferecer estas informações não temos como multiplicar nosso trabalho por quatro, ou cinco vezes. O usuário deve estar plenamente engajado em passar e para isto deve acessar todas as informações do concurso de seu interesse periodicamente, e não ficar acomodado esperando as informações chegarem até ele. Um exemplo clássico é o candidato que está esperando as inscrições abrirem para começar a se interessar pelo concurso, quando o edital com todas as informações sobre inscrições, matérias, provas, datas etc.., já foram liberadas há meses. 
A determinação do candidato em passar começa a funcionar no primeiro momento que ele ouve sobre determinado concurso, continua na busca pelas informações do concurso é só termina quando ele é aprovado e ou, quando todos os seus esforços foram usados na luta pela aprovação.

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Classificação em Concurso Deve Gerar Convocação

Todo candidato classificado dentro do número de vagas de um concurso, deve ser chamado no período de validade do concurso. Acontecem alguns casos lamentáveis de candidatos nesta situação, onde o período de validade do concurso termina e o candidato não é chamado. Já existe jurisprudência, tendo vários candidatos recorrido a justiça para garantir seus direitos. A justiça, tem dado como líquido e certo o direito de convocação para exercer o emprego público no qual o candidato foi classificado, dentro do número de vagas estipulado pelo edital. De outra forma que não a convocação, fica o ente público numa situação sem defesa, pois, ou realizou um concurso com vistas a arrecadação de valores monetários, ou pior, chamou para exercer uma função pública, outra pessoa não selecionada por concurso público como manda a lei.

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Diferenças Salariais entre Médicos e Dentistas no Serviço Público

Profissões que sempre tiveram o mesmo pareamento salarial no serviço público, médicos e dentistas vem apresentando nos últimos anos diferenças salariais muito grandes, que desvalorizam o profissional de Odontologia. No serviço público federal e na área militar este pareamento ainda existe, mas quando o assunto é o serviço público municipal que oferece a grande massa de empregos públicos na saúde, as diferenças são enormes, sendo oferecido a um médico salários até quatro vezes maiores, para uma carga horária idêntica, ou em alguns casos extremos o triplo, ou o quádruplo do salário com a metade da carga horária, o que corresponde a um salário de 6 a 8 vezes maior que o recebido pelo profissional de Odontologia.

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman


Residências, Será que Agora Vai?

A pedido dos ministérios da educação e da saúde, o CFO e a ABENO, concluíram a proposta de revisão da base legal da residência em Odontologia. A solicitação é ampliar as residências na Odontologia para todas as especialidades. A grande questão é saber, se realmente as residências serão implementadas, ou está será mais uma tentativa.
Desde 1991 existe um Projeto Lei do deputado Álvaro Valle pronto para ser votado, mas que nunca foi a plenário. Enquanto isso, praticamente todos os pacientes do SUS ficaram sem atendimento especializado, a exceção da CTBMF, única residência regulamentada e daqueles pacientes moradores de cidades com serviços odontólogicos especializados organizados pelas suas prefeituras, universidades ou governo estadual.
Em 2004, o governo Lula implementou os CEOs, Centros de Especialidades Odontológicas que passaram a atender as necessidades dos pacientes em Endodonti
a, Periodontia, Cirurgia, Estomatologia, Pacientes Com Necessidades Especiais. Logo em seguida vieram os laboratórios de prótese, passando a permitir o atendimento protético. 
No lado do profissional de Odontologia, o que se espera é que as residências sejam sérias e formem profissionais qualificados, que além de tudo serão remunerados durante o curso. A sociedade só tem a ganhar com as residências em Odontologia, pois ampliarão o acesso da população a serviços especializados, a Odontologia será valorizada e os profissionais ganharão um novo espaço de qualificação e crescimento profissional.

© www.odontoconcursos.com.br, Marcos Frydman